8 de mai de 2014

Faithfully


Olhou-se no espelho depois do ocorrido e não se reconheceu: a cara fechada, os traços duros, o olhar sombrio. Não sabia por que continuava. Por que insistir? Talvez fosse sua fé secreta nas pessoas, na vida, em si mesmo. Afinal, não havia outra explicação possível para que um ser humano aceitasse tocar a sua vida como ele vinha tocando.

Fé... Fé? Tinha sim e, felizmente, tinha também sorte de não ser impulsivo, pois era um daqueles dias para se desistir de tudo.

[é, a fé é um troço perigoso...]

Nenhum comentário: