18 de ago de 2013

Conhece-te a ti mesmo e outras coisas

É batata: quando a gente diz que perdeu a crença em algo, acontece uma reviravolta e temos a crença reforçada com cola araldite. Também já não me importava muito com a crença quebrada, mas é susto na certa perceber que ainda há quem. É uma espécie de tapa na cara com luva de veludo: é macio, mas incômodo.

*****

A cobrança pela saída que não foi possível não soaria cobrança caso se dissesse:

- Tô com saudade.

ou

- Quero te ver.

Mas a ideia é ser chato mesmo e cobrar por algo a que não se tem direito - como se o chato fosse você.

*****

Você acha que sabe o que quer até conseguir. Aí você vira para o lado e murmura:

- Então, acho que não era bem isso...

Ora, o caminho para se saber o que quer às vezes passa justamente pela exclusão:

- Não sei o que quero, só o que não quero...

E muitas vezes você só sabe o que não quer quando consegue:

- Mulher é bicho complicado!

Não: o ser humano é bicho complicado.

*****

O tempo tira a graça de certas coisas - ou é a gente que vê a graça escorrer pelo ralo? Eu era muito mais..., só que não mais agora. Vi a moça no espelho olhar com indiferença. Uma indiferença educada e ponderada, mas ainda assim indiferença.

*****

O chato do momento é aquele que acha que te conhece como a palma da própria mão, mas mal se enxerga no espelho. Ele é sazonal: de tempos em tempos aparece um.

*****

Estão me mandando sinais: tomo lista e vão tomando corpo em forma de ação e mudança.

*****

Não tenho mais problema com coisas quebradas, principalmente porque não sou jogá-las fora. Gosto do conserto do que tem conserto.

- Ei! Tá me chamando de sujeito cindido?

E nada descartável. Nem copos de plásticos.

Um comentário:

Ludmila. disse...

Saudade do ser humano que é um bicho complicado!!!