5 de jan de 2016

Sobre minha avó, cozinha e saudade

- Minha avó fazia bolinhos deliciosos, de todos os legumes e verduras que você podia imaginar. E sempre ficavam excelentes!

Eu disse a B. na semana passada, enquanto ele devorava um delicioso bolinho de abobrinha. Era um bolinho frito e os bolinhos dela eram sempre fritos. E, de uma forma engraçada, eles fazem parte da minha infância.

Bolinho de espinafre, de arroz, de couve-flor... Ela batia os ovos com um garfo, coisa que demorei a aprender, e depois mergulhava os bolinhos e os empanava.

Não, eu não sou nostálgica, mas me bateu uma saudade boa da minha avó materna hoje de manhã, enquanto preparava um frango de panela. Ele me ensinou várias coisas, como pregar botões e picar alho. Me lembro que eu deveria ter uns oito ou nove anos e ela me explicou como se descascava o dente de alho e como, com cuidado para não se cortar, se picava o alho. Ajudei-a a temperar muito arroz e muito bife assim - e me sentia muito importante!

A cozinha tem o seu encantamento, mesmo em relação as coisas mais simples como picar alho e eu nunca me esqueci do modo como ela tinha me ensinado isso ou a temperar um bom bife à milanesa, uma de suas especialidades. Sua sopa de feijão com macarrão ave maria também era lendária, assim como seu bolo de cenoura.

Olhei a bandejinha onde antes estava o frango, agora com cascas de cebola, restos de alho e de frango, ainda cru, e me lembrei da comida fresca que fazia para nós quatro - meu avô, meu primo, minha irmã e eu - todos os dias. Sempre comida deliciosa.

Talvez ela tivesse gostado da minha comida. Acho que sim. Espero que sim. Espero um dia cozinhar como ela.

Nenhum comentário: