9 de abr de 2013

Das flores que recebeu

As bonitas flores entregues - e ela, a costumeira desconfiança. Olhou com alguma frieza e todo o ceticismo que cabia em si. Felizmente, era pequena. Mas a descrença transbordava pelos seus poros, digitais, olhos. Escorria pelo seu nariz, aquela sua gripe.

Olhou as flores novamente. Estaria sendo muito dura com elas? As pessoas estavam sempre falando de sua dureza. 

 Ah!

Resolveu dar uma segunda chance para elas - sempre mais fácil dar segunda chance a flores do que a gente. 

Tirou-as dos papéis e laços, colocou-as num vaso com água.

Ah.

As flores eram de plástico.

Nenhum comentário: