2 de abr de 2013

Veredas férteis ou Umbilical

Você pode dar luz a boas ideias, mas quando fala em parir ideias a coisa muda de figura. Deve ser porque 'parir' é um verbo forte e creio que dá muito mais conta da coisa concreta que é trazer alguém ao mundo. Se bem que tem essa coisa do bebê ver a luz e tal. Dar a luz a um bebê: entregar-lhe uma lanterninha de bolso.

- O que ando parindo? O que tenho trazido ao mundo?

me perguntei, provavelmente enquanto dirigia de um lado para outro ou enquanto almoçava sozinha. Devo ter me perdido na folhagem selvagem do prato ou na floresta dos seus cabelos? Ah! O que tenho trazido ao mundo? Não são crianças, nem beleza, nem obras de arte, nem ideias para curar as mazelas do mundo. Então...?

Ah!

As histórias que me contam são para sonhar ou para dormir?

Tem problema de plantar as sementes de ideia nos vasinhos singelos e modestos e humildes na ridícula varanda do meu apê? Aguar um pouco todo dia, a homeopatia. E torcer para que brote forte, rebento novo,  daquela beleza selvagem e petulante.

Vai crescer e dela vão de nascer os mais doces e deliciosos frutos. Ou vai destruir tudo? Um baobá cruel e avassalador. O cacto de Bandeira: belo, áspero e intratável.

Seja como for, vai dar em alguma coisa. Podem ser girassóis ou tomates ou simplesmente lavanda.

E você, anda parindo o quê?


Nenhum comentário: