12 de jun de 2013

Como se chama? ou Aquilo que não se sabe nomear

É só uma sensação. É mais uma sensação do que qualquer outra coisa. E talvez em outros tempos o temor viesse da constatação do seguinte fato:

- Sensação de quê?

[bem... a falta de constatações]

Não sei. Não sei definir. Não sei por que veio. Quando vai, se vai... Não sei se é boa ou má, só sei que está. E é.

A gente tem mania de querer pôr nome em tudo, como se ao dar o nome, tivéssemos algum poder sobre a coisa. Isso me lembra muito Guimarães Rosa, essa coisa da palavra como algo mágico, sabe?

Se não me engano, foi Wittgenstein quem disse que a nossa língua dá conta de tudo aquilo que precisamos dizer. Ora, então talvez eu não precise dizer nada, nem dar nome, já que a língua portuguesa não dá conta disso.

E, bem, eu mesma não dou conta de explicar, ainda que para os meus botões, o que é isso que se passa.

Nenhum comentário: