20 de jan de 2015

Sobre a lógica do trânsito (e um bilhetinho jeitoso)

"Moço, eu não deixei você passar porque você está vindo à direita desde lá de trás e você vai furar a fila, bem na minha frente e a gente não precisa disso, né? Apesar dessa minha cara, percebi que você poderia muito bem ter dado seta antes e ir entrando na esquerda, em vez de furar todo mundo da direita pra esquerda, de uma vez só. É simples, não é pessoal. Eu sempre deixo as pessoas passarem na minha frente, mesmo os folgados. Mas, hoje, moço, resolvi resistir. E, de qualquer maneira, você conseguiu entrar atrás de mim, não? Eu achava que estava tudo bem, até o sinal abrir e você acelerar e sair em disparada com seu peugeotzinho, só para ter o prazer (?) de tirar uma fina de mim e me fechar com muito gosto. Sabe, moço, a gente não precisava de começar o dia nem a semana assim: você podia ter sido bem menos folgado. Acho engraçado isso: eu faço a coisa certa e você me acha a errada. Bom, moço, o errado é você e uma hora você aprende - talvez não pelas mãos de alguém como eu."

Nenhum comentário: