19 de set de 2012

Incondicional


A sua lógica me faz cócegas e me coça as costas. Joga damas como um cavalheiro. Boceja e adormece no meu colo. Inventa palavras e feriados só seus. Tenho um mural só com seus desenhos e bilhetinhos. Brinca com canudinhos, tampinhas, moedas. Faz mágicas: moedas brotam de minhas orelhas. Os meus brincos de pérola você escondeu num baú de tesouro. 


- Onde? - pergunto.

Você ri e corre para debaixo da mesa. Arrisca "yellow submarine" e as palavrinhas em francês que te ensinei. Tem esse ar doce quando olha pela janela do carro e acompanha as gotas com o dedo no vidro. É mais doce ainda enquanto dorme: é aí que se permite admirar. 

Me espera acordado: beijo de "boa noite" e historinha. Sempre me serve umas histórias divertidas e vê coisas que eu não vejo. Vi um dia, mas o tempo as tirou de mim e me deu outras para olhar, coisas como você. Espero os brincos de volta, enquanto te vejo crescer. Mas, na verdade, não preciso deles: já tenho o meu tesouro. 

Nenhum comentário: