21 de dez de 2012

Sinais: you're doing it wrong

Não vi sinais do fim do mundo: o que está errado está errado e não é de hoje não. Por isso, dormi tranquila sabendo que as coisas continuariam como sempre. Tranquila não é bem a palavra: a constância, a mesmice e o comodismo têm um preço. 

De repente os sinais de Deus, de qualquer outra entidade superior ou da vida estão bem na sua frente, mas será que você está realmente atento? A pedrinha de brilhante piscando aqui no chão e o sujeito buscando a estrela lá longe - inatingível. Assim como há pessoas que buscam amor, felicidade e realizações nos lugares errados, há quem também erre ao procurar os tais sinais. Digo "lugares errados" não por moral ou juízo de valor, apenas porque muita gente não sabe o que realmente precisa. 

(Se alguém achar isso normal, me chame de chata)

Sempre sei quando vai chover, sei ler os sinais do ar e dos pássaros, muito além do senso-comum das nuvens. Isso não quer dizer que eu sempre saia de guarda-chuva. Por isso, não basta saber ler os sinais, mas é preciso fazer algo a respeito. Do contrário, é como se eles não estivessem lá: de que serve se perceber que algo vai acontecer e não fazer nada?

Deve ser a minha mania de condenar a omissão...

Vai chegando o fim do ano e é impossível não ir fazendo uma retrospectiva de 2012, com todos os erros e acertos, com todos os sinais que eu li e os que não percebi. E os que deixei passar porque estava preocupada com qualquer coisa nada importante, algum cisco de pão na sua gravata, alguma formiguinha no açucareiro de aço inox riscado. 

Nenhum comentário: