1 de mai de 2011

De princesa à plebéia... fala sério!

O assunto da semana foi o casamento no melhor estilo conto de fadas de Kate e William. Eu até convenci algumas pessoas de que tinha ido:

- Por que você vai? - me perguntaram.

- Porque eu não iria? - respondi - Sou uma pessoa influente.

Inventei que tinha ido com uma celebridade: Rowan Atkinson. E as pessoas acreditaram!

- O vestido tá no carro lá fora  - comentava.
Então os meus choques foram três: 

1º)  Perceber que as pessoas acreditaram em mim;

2º) Pensar que as pessoas acham que eu seria amiga de Rowan Atkinson.

3º) Ouvir a palavra "plebéia" com uma frequencia nunca dantes ouvida. Aí eu penso o quanto tudo isso é antiquado. "Plebéia" me parece ter um peso tão grande e na verdade não significa nada - principalmente na nossa cultura brasileira e principalmente quando o casal já estava junto há oito anos, ou seja, tanto faz quem é o que. Antes de sermos da plebe ou da realeza, não somos humanos?

Ouvindo Leaving on a jet plane (Peter, Paul and Mary)

Um comentário:

Alexandre disse...

Isso mesmo, puta continho de fada manjado. E esse termo plebéia serve pra dizer "Ta vendo! Olha só como somos bonzinhos, estamos dando uma chance a vcs coitados"