22 de mai de 2011

Um pedacinho do paraíso

Para você

Se o pecado mora ao lado, por que não a felicidade? Acho que somos expulsos do paraíso várias vezes durante nossas vidas. E é sempre difícil. Às vezes, tudo desmorona sobre nossas cabeças e a vida parece não passar de uma piada de mal gosto. Às vezes, você escolhe as cartas certas e ganha o jogo. E, às vezes, você nem precisa de jogar nada: a vida simplesmente acontece, se apresenta com a clareza e a naturalidade de um "bom dia" compartilhado junto à uma xícara de café.

Mas isso não me impede de apostar tudo neste momento: todo o meu fôlego, o meu afeto, a minha presença, o meu abraço, tudo de mim que foi se perdendo e que acabo reencontrando neste caminho de volta, no qual, pela primeira vez em anos, o que passou, realmente, passou.

Pela primeira vez em muito tempo, o tempo presente se mostra ser realmente um presente. Fazia muito, mas muito tempo mesmo que não sentia essa sensação de pedacinho de paraíso. Ainda que sejamos expulsos, temos ainda duas pernas para redescobrir o caminho de volta. E se acompanhados, de mãos dadas - uma das melhores coisas da vida - fica muito mais fácil (e maravilhoso) seguir. 

Mas me deparo com você e percebo que este caminho que trilhamos é diferente dos outros pelos quais passei. Porque eu e você somos outros. Assim, não há caminho de volta, na verdade, mas um caminho novo para um outro lugar: um novo pedacinho de paraíso. Nosso. Tem gosto de uma felicidade sabor canela, felicidade partilhada, que não há coisa melhor nessa vida.

Ouvindo Oração (A banda mais bonita da cidade)

Nenhum comentário: