30 de mai de 2010

Juju Kubitschek

Enquanto alguns querem ser John Malkovich, eu quero ser Juscelino Kubitschek. E acho que até que levo muito jeito - não para governar um país, mas para governar a minha vida, naturalmente.

Digo que levo jeito para isso muito por conta do meu lado progressista: se o plano do já citado presidente era o de "50 anos em 5", eu não fico para trás e tenho o meu também - e uma certa pressa pelo progresso.

Não construí uma cidade, capital federal, no coração do Brasil, mas tenho plantado boas sementes no coração de algumas pessoas.

Derrubei tabus, dissolvi traumas, transformei conceitos radicalmente e mudei visões de mundo.  Sem armas, sem gritos. Simplesmente palavras e ações, pois acredito que ambas se complementem. E tudo isso num prazo muito curto de tempo. Coisa de uma ou duas semanas. Às vezes, um pouco mais de tempo, mas o que são dois ou três meses em vinte e poucos anos?

Para mim, é tudo para ontem e tenho um grande compromisso com o progresso: acredito que me modificando, posso mudar o mundo. E quero ser uma pessoa muito melhor e contribuir com a sociedade, tanto no lado profissional quanto no cidadão, enfim, em todas as instâncias da minha vida. E por que não com as pessoas mais próximas? E por que não te fazer mais feliz, dentro das minhas (im)possibilidades? Pois é para isso que estou aqui: para buscar o nosso progresso e nosso crescimento. Sempre em frente, não temos tempo a perder. E sempre fazendo o (im)possível, para te fazer feliz.

Por isso hoje, meu nome não é Forster, mas Kubitschek, Juju Kubitschek.

Um comentário:

Sirius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.