9 de jan de 2014

Morangos existencialistas


O morango era tão bonito que não teve coragem: deixou-o de lado para fotografá-lo e comê-lo separado dos outros e bateu os demais morangos com iogurte.


Pousou o mais belo morango sobre a bancada da cozinha e foi lavar a louça.

Foi voltando da lavanderia que sentiu  ter pisado numa coisa macia: levantou o chinelo e o viu esmagado.

Guardou o melhor pra depois.