26 de abr de 2012

Feng Shui

Ela chegou em casa depois das estrelas terem ido dormir. Ela já não brilha mais. Nem mais elas queriam ficar acordadas. Mas ela não conseguiria dormir. Bem o sabia. 

Subiu as escadas até apartamento com os passos arrastados. Por dentro, estava aos pedaços - mas sem amor e sem doçura - e parte de seu corpo continuava funcionando sem parar. O sangue corria lépido em suas veias finas e a respiração estava ofegante, embora o coração já não passasse de uma criatura morta - a ser enterrada numa caixa de sapato na ilha na avenida. O homem é uma ilha.

As mãos trêmulas levaram um certo tempo até conseguirem puxar o zíper da bolsa e, depois, mais um tempo para que a chave entrasse corretamente na fechadura. Fazia tudo sempre tão corretamente. E aí? Todas as portas continuavam fechadas. E aí?

Abriu a porta do apartamento e entrou. Acendeu a luz e deu de cara consigo mesma no espelho. Um susto. Quem é aquela que me olha tão dura? Tão amarga? Tão cinza?

E percebeu que era preciso mudar e não hesitou: mudou o espelho de lugar.

Nenhum comentário: