22 de jan de 2013

Ligeirinhos: Embalagens

Chegou em casa cabisbaixo. A tristeza escorria de seus cabelos e pingava em seus ombros, encharcando a camiseta. Tomou banho e vestiu o pijama, embora ainda fossem duas da tarde, pois era um daqueles dias de pijama, nos quais nem vale a pena sair de casa - mas só soube depois.  Pensava na vida, pensou nas coisas, nos bichos, nas pessoas. Diluiu leite no chá preto. Sem açúcar, sem afeto. Terminado o seu chá, ajoelhou-se diante do armário da cozinha e, calma e metodicamente, começou a tirar as latarias e a despi-las.

Conseguiria[mos] viver sem rótulos?

Um comentário:

renatocinema disse...

Queria poder vestir o pijama em plena tarde..e refletir..

kkk