11 de ago de 2012

Mãos ao alto!

Você sentado no balcão, com o seu café forte. Sem açúcar. Você me diz:

- Menina, levanta essa cabeça. A vida é dura!

- Mas eu não baixei a cabeça.

Eu sorrio e você não retribui. Quer bancar o forte, por confundir fraqueza com delicadeza - como tantas pessoas fazem. Mas quem você pensa que engana? É tudo uma questão de saber te conduzir.

- Te conheço, moço.

E você ainda sério. Tão frio e duro. Mas os ombros tensos se desmancham nas minhas mãos assim que brinco de Bebel Gilberto e cantarolo ao pé do seu ouvido. Aí sim você me olha como eu gosto que me olhe: desarmado.




Um comentário:

renatocinema disse...

Cazuza era tudo de bom.....que canções......que letras..que poesia.