30 de jul de 2013

Dente-de-leão voa loooooooooonge

Da árvore que existe em mim, colho frutos redondos e maduros. Deles, tiro a polpa com a qual faço desenhos e escrevo cartas, bilhetes, cartões... A palavra que adoça, conforta, aquece e se espalha aonde quer que você vá. Mas se o gosto é doce como fruta, ela tem a pretensão da semente: dar frutos, muitos frutos! 

Talvez ainda flores na sua sala e raízes na sua vida.

P.S. espalhar minhas palavras por aí é como espalhar um pouco de mim pelo mundo.


Nenhum comentário: