22 de ago de 2011

20 e poucos anos: Ansiedade

Cheguei doido da vida em casa. Lô já achou que era com ela: mania de perseguição, paranóia não assumida:

- Fiz alguma coisa, Raul? - ela me olhou preocupada.

- Não, tô maluco de raiva, só isso!

- O que aconteceu?

- Lembra que eu sempre brinco que você é um posso de ansiedade?

- Sim, você sempre diz isso.

Pausa.

- E, pensando bem, você tem toda a razão - ela continuou.

- Bom, hoje eu descobri que sou tão ou até mais ansioso do que você. A diferença é que você transborda e eu reprimo. De repente, eu quis ser como você.

Nenhum comentário: