11 de out de 2012

Desconfinado

Porque só acredito vendo (Silvio Santos)

...Então acredita em pouca coisa, pois muito que existe não se vê, embora se sinta, se pense e se discuta isso. Isso. Desconfio de tudo e de todos porque nada vale a minha confiança, um medo gigante de ser homericamente enganado, ludibriado, ridicularizado e outras coisitas mais. Pronto: ninguém entra na minha vida, ninguém tem acesso a ela. 

Nada daquele papo de selecionar as amizades, os amores ou quem mais estiver ao redor. Nada de laranjas selecionadas para o meu suco Del Valle: nada de suco nem de laranjas. É dançar gafieira com o pé atrás. Mas dá para dançar assim? Um pé atrás e duas pedras na mão? 

Quem desconfia, é prevenido e o seguro morreu de velho. Quem desconfia, acaba finado, morto-vivo rondando por aí a procura de mais coisa para desconfiar - ou desmascarar. Um chato. São todos uns fingidos isso sim! Quem desconfia, acaba confinado no senso comum e em seus próprios preconceitos e, sem perceber, muitas vezes medindo as ações alheias pelas suas próprias ações [tortas]. Preso no medo de se entregar e de decepcionar, mas pior, preso no medo de até ser feliz.

Um comentário:

renatocinema disse...

Eu só acredito vendo.....mas, sem exagero. O medo de ser feliz é mais sadio do que o medo de perder a alegria da felicidade.