26 de out de 2012

Esquecimento

Acordou - a luz ferindo suas pupilas dilatadas entrava através da cortina leve. Seu corpo estava dolorido e ela sem saber o porquê. Foi abrindo os olhos...

O que eram as marcas roxas no braços? Se encarou no espelho do quarto com apenas um olho, que viu o outro escuro e inchado. O rosto cheio de hematomas.  Inúmeros tons de rosa e vermelho sem o romantismo esperado.

Por dentro, o que sentia?

Três unhas quebradas. O corpo cheio de marcas e de resquícios de um alguém. Alguém tinha estado lá. Estremecimento. E nenhum flash de nada. Encolhimento. Sentia-se pequena, tão pequena. Insignificante.

E uma sensação de vazio tão, mas tão grande que...

Parou por ali e se arrastou para o chuveiro. Atordoada. Não conseguia lembrar, por mais que tentasse - quereria? Sua alma estava dolorida demais e ela sem entender o quê.

Nenhum comentário: