9 de dez de 2010

20 e poucos anos: Desejo veronil

O mosquitinho rodava ao meu redor. Parecia interessado no que eu lia escrevia rabiscava desenhava desejava. Pousou na minha mão e deixei que subisse pelo meu braço. Gostava de senti-lo, apesar do peso insignificante. Não importava quem era: sabia e sentia que estava lá. Voou e pousou de novo. Dessa vez no meu ombro. Cócegas.

- Como eu queria que fosse outra pessoa a passear por aí... - murmurei sorrindo.

- Você disse alguma coisa? - perguntou Raul, sonolento, no sofá da sala.

- Nada,fica quieto e dorme aí.

Ouvindo Life goes on (The Sundays)

Nenhum comentário: