14 de dez de 2011

Sete abordagens masculinas duvidosas ou Como se pode afastar uma garota


1) Egocentrismo (ou Eu sou o centro do Universo): Se uma pessoa está interessada em você, ela normalmente quer saber coisas sobre você, não? Pode parecer óbvio, mas não é tão claro assim para algumas pessoas. Você troca e-mails com a pessoa e ela é incapaz  se responder as suas perguntas ou de querer saber algo sobre você - mesmo estando interessada. Ela escolhe monologar. 

Ora raios, para que precisa de mim? Porque o egocêntrico precisa sempre de alguém para ouvi-lo falar de si mesmo. E pior ainda quando esse falar de si mesmo é igual a se fazer de coitadinho: porque meu emprego é ruim, porque ninguém me quer, porque eu eu eu eu eu. Aí a minha cara de ponto de exclamação. Tudo acaba o levando a falar de si mesmo, como se não houvesse outra referência  ou outras pessoas na face da Terra. Já aconteceu até de surtarem comigo:

- Aquele texto no seu blog era sobre mim, é?
E eu nem lembrando qual era o texto. Em inglês, tem-se uma ótima palavra para isso: self-importance.

É problema quando você não sabe se te querem porque gostam de você ou porque você acabou se tornando um desafio, prêmio, troféu ou algo do gênero. Conheci um Galãzinho Malhação certa vez, por quem todas as meninas suspiravam ardentemente. Só que um dia ele conheceu uma menina que não dava a mínima para ele. Claro que seu desinteresse foi tomado como "charme" ou traduzido como a clássica frase "ela está se fazendo de difícil", mas ela simplesmente não estava nem aí. E isso foi tido como crime... e afronta.

O egocentrico pode ser mais discreto também e achar que te conhece muitíssimo bem, como a palma de sua mão.. ah! E achar que sabe o que é melhor para você e que sabe sempre como te agradar. E achar que você é dele, baseado em... quê? E aquele ar paternalista no melhor estilo "vou te mostrar as coisas do mundo e te ensinar tudo o que você precisa saber" é mais triste ainda.

É sempre bom ficar esperto com quem vai querer se auto-afirmar às suas custas. Nesse caso, é melhor sair da sala e deixá-lo sozinho confabulando com o ego dele. Serão mais felizes. E você também. Deixar que ele massageie o próprio ego é mais acertado.

2) Falta de filtro (ou Porque eu tenho prisão de ventre): Me fala o que alguém ganha ao dizer que tem sudorese, prisão de ventre ou excesso de pêlos para uma pessoa que se está conhecendo, a não ser que seja seu médico. Eu acho, no mínimo, desnecessário. Pelo menos eu não me interesso por questões fisiológicas, principalmente quando se está conhecendo alguém. E não é só isso: quem não tem filtro, se derrama e escancara coisas que seria melhor que você nem soubesse. Mesmo. Penso sempre assim: o que ele ganha (ou eu ganho) ao saber disso disso e disso?

A vantagem disso tudo é que você logo perceber qual é a a pessoa e cai fora o quanto antes - caso ela seja assustadora, o que frequentemente ocorre. Porque se tornar mãe ou psicóloga não é uma opção válida. Digo, pode-se até bancar a mãe, mas o desejo é o de ser outra coisa, não? E quanto a psicóloga... Eu não entendo porque há gente que despeja suas neuras, logo de cara - e quer que você ouça ouça ouça ouça sempre a mesma coisa. Olha, todo mundo tem problema, vai de como se encara.

E quem garante que a garota vai querer saber da vida sexual dele ou de seus hábitos entre quatro paredes? Seja para falar de suas carências e/ou frustrações, seja para se gabar, seria melhor sondar se vale a pena mesmo entrar em detalhes pessoais acerca do assunto logo de cara

3) Perfeitinha (ou Everything she does is beautiful/ Everything she does is right): Não há nada pior do que um cara que acha que tudo o que você faz é perfeito. Okay, há coisas muito piores, mas não dá simplesmente para confiar em alguém assim, porque você pede a opinião sobre uma coisa que você fez e está tudo sempre lindo, maravilhoso... perfeito! 

E aí é dois palitos para se acomodar, é claro, o que significa um grande atraso. Eu entendo gente que queira agradar sempre, seja para evitar conflitos, seja por insegurança... Mas perde-se muitas chances de dar o apoio necessário ao dizer: Olha, eu acho que isso não está legal. A gente não vai agradar sempre e vai ter uma hora que o outro vai sentir a necessidade de falar que não somos lá tudo isso. Uma hora a máscara cai - ou ele vai conseguir manter as aparências para sempre? O oposto também é duvidoso: sei do caso de um rapaz que interessado na menina, disse que o rosto dela é bonito, mas o nariz é meio esquisito e fica estranho. Pergunta de um milhão: a troco de quê se faz um comentário desses? O que me leva de volta ao item 2.

4) Incoerência (ou Oi?): Eu sei que o ser humano pode ser incoerente, mas, sinceramente, qual é a lógica de um rapaz dizer que acha que você não gostaria de ser chamada de "gostosa", por exemplo, e te chamar assim? Ele diz que acha que determinada abordagem não funcionaria com você, mas é essa abordagem que usa para tentar ficar com você. E não fica, é claro, porque a abordagem se revela o fiasco que ele julgou que fosse ser. Perdi alguma coisa?

5) Fofoca (ou Você viu quem está namorando?): Pior do que briga de homem é briga de mulher. Pior do que mulher fofoqueira é homem fofoqueiro. Ele vem e começa a falar da vida das pessoas que ambos conhecem. E claro, o faz ocasionalmente com uma pontinha de maldade. Precisa disso? Não tem assunto melhor? Caras assim podem gostar de uma boa intriga e quem garante que ele não vai falar de você para os amiguinhos em comum?

6) Mulher não presta (ou Vadia!): Desconfie sempre de quem fala mal da ex-namorada, principalmente se calhou de todas as ex-namoradas dele serem categorizadas como "vadias". A vida não é preto no branco com algumas pessoas sendo as mocinhas e outras as vilãs. Se fazer de vítima torna tudo mais confortável, mas impede que se veja as coisas como realmente são. E culpar as ex-namoradas (todas vadias?), não me parece muito sensato. É cômodo, só isso. É a mesma coisa da entrevista de emprego: não fale mal do ex-chefe, porque um dia o a atual um dia pode se tornar ex-chefe e aí é mais um para você falar mal.

7)  O garanhão (ou E sua amiga também): Nem sempre interessa para a garota que o cara pegou a Shakira ou quem quer que seja. Mesmo. De repente, também nem interessa saber que ele já ficou com amigas suas e com a moça da cantina e com a prima dele e com a Beyonce.

Não tenho aqui a pretensão de dizer que são todas estratégias furadas, porque muitas das historinhas são de rapazes que já estiveram ou ainda estão acompanhados. Afinal, tem gosto para tudo.e não acredito em verdades absolutas. Mas resolvi escrever e falar por muitas pessoas que eu conheço, pelas coisas que tenho visto e ouvido. Porque eu acho sim que são estratégiass tortas, se não para todo mundo, para um grupo que pensa como eu. E acho que, no fim das contas, o que realmente falta é bom senso e se colocar do lugar do outro. Ou ainda, às vezes simplesmente não dizer nada.

3 comentários:

Bárbara disse...

Adoreii teu post!
*-*

£ädÿ disse...

utilidade pública isso!!!!!!!!! o/
adorei, lari!!!!

renatocinema disse...

Apesar de homem.......eu concordo que alguns realmente merecem essas críticas.