26 de out de 2010

20 e poucos anos: Digestão

Para a Diva Ruiva

Raul falando com o diretor:

- Nós não estamos satifeitos com o seu desempenho.

O rapaz olha para ele, preocupado:

- Vou melhorar, senhor, não teremos que ter essa conversa novamente. Isso não vai mais acontecer.

E era sempre assim: uma vida para atender às expectativas alheias. Porém, um dia  Raul decidiu abraçar aquilo o que era, a despeito do que pensassem. E que pensassem o que quisessem. Pensavam e afirmavam tanta coisa mesmo. Estava cansado de pensar no que oferecia aos outros. 

Segundo alguns, não tinha nada para oferecer. Era com uma veemência bruta que aquilo era expresso. Respeitava a opinião alheia, mas não partilhava mais do silêncio. Raul teve a sensação de que algumas pessoas não conseguiam entendê-lo ou as mudanças pelas quais passava. E cansou de tentar explicar. Deixou essa tarefa para aqueles que o queriam mal.

Pediu demissão e foi ver Lô.

Nenhum comentário: