23 de out de 2010

Inevitável

"[...] mas é uma culpa tranquila e honesta, eu não me sinto mal. É uma culpa conformada. Eu a acaricio todos os dias antes de dormir. Ela dorme ao meu lado. Se há um ano atrás eu soubesse o que sei hoje, nada disso teria acontecido. Mas se as coisas não tivessem acontecido como aconteceram, eu não saberia o que sei e não seria quem eu sou hoje."

Frau Forster

Nenhum comentário: