23 de abr de 2011

Bem no fundo do bolso de um casaco de inverno


Eu tenho o hábito de guardar coisas. Algumas não deveria, mas guardo. Todavia, estou aprendendo a jogar fora o que precisa ir embora. Sendo assim, sobra muito espaço nos armários e na vida.

Mas tirei do armário um velho casaco de inverno, um casaco que eu não vestia há seis anos. Descobri em alguns bolsos fundos alguns segredos, desejos e sonhos esquecidos. As traças não os quiseram: estavam intactos. Acho que elas não os quiseram porque no fundo sabiam que eu iria querê-los de volta um dia, como quis agora.

Tirei dos tais sonhos e desejos o pó acumulado pelo tempo e vi que tinham permanecido perfeitos. E, quando levados adiante, mostraram o quão mais perfeitos poderiam vir a ser.

Um comentário:

Ludmila. disse...

Talvez estes sejam tempos de arrumação mesmo!
Desde semana passada que arrumo a vida e hoje resolvi arrumar o armário...
Quanta coisa acumulada sem precisar, nos dois casos.