1 de jan de 2012

Memória da nossa história (vou sentir sua falta, mas...)

Você não vale uma pincelada de blush ou uma noite mal dormida. Nem mesmo o azul cobalto do meu esmalte - sim, as aulas de pintura serviram para que eu soubesse que esse tom de azul existe. Fui de cara lavada, de cara limpa, me despedir de você, te dizer adeus. Porque, como você bem sabe, eu adoro despedidas.

De chinelos, pés descalços e mãos despidas de quaisquer armas. Fui olhar em seus olhos pela última vez. Porque nunca mais queria te ver. Porque eu sabia que a vida era preto no branco, recheada de coisas definitivas e certeiras e permanentes.

Para sempre na memória
Mas no trajeto ao seu encontro, eu hesitei - tanto que perdi um chinelo no vão do vagão de metrô. E o que mais perdi e ganhei? Hesitei porque o azul das minhas unhas me vez lembrar o azul do céu que partilhamos - incontáveis vezes. E o que mais partilhamos? Tanta coisa! Nossos momentos de lama, sim, lama, mas também nossos momentos da glória mais intensa e incandescente. Como abrir mão disso? Como fingir que você não foi nada para mim?

Você faz parte da minha história agora. Então como fingir que nunca aconteceu? E para que fingir quando eu já não tenho nada a perder, quando me entreguei de peito aberto, disposta a abraçar o seu melhor e o seu pior? Não, eu simplesmente me nego a passar uma borracha no que tivemos.

Te encontro cansado, sentado num banco da praça onde tudo começou. Você me olha exausto, cheio de nostalgia. Nós dois na verdade. Acabou, é verdade. A areia da ampulheta estaria no soterrando se tivéssemos levado as coisas de outro modo. Mas estamos bem: é só um aperto porque, lá no fundo, sabemos que nossa história acabou. Mas viramos a página sem esquecer (e pensar que tem gente que acha que isso é crime...).

Eu suspiro: 2011, vou sentir sua falta, mas já tivemos nosso tempo. É hora de eu seguir em frente e descobrir o que o próximo ano me reserva - e o que eu reservo para ele.

P.S. Feliz Ano Novo a todos!

4 comentários:

£ädÿ disse...

adoro a ambiguidade e como eu tendo a enxergá-la
feliz ano novo, Lari :) e que seja só coisas boas!

Alline disse...

Ai, que susto! rsrs
Ah, bom!

E ele já começou... que seja um ano de alegria e boas energias!! =)

Beeeeeeeeeeeeeijo

Tavão disse...

Sabe o suspiro depois de saber o resultado da prova de matemática?

Carolina disse...

Adoreeei! :)