13 de jan de 2012

Se os ventos da mudança não vêm, é hora da gente fazer ventar

Não me contentei com a brisa. natural Queria o tal vento da mudança assobiado pelos Scorpions desde a minha mais tenra infância. Sim, tenho fixação por essa música. Sim, sempre que penso em mudanças, penso em vento.

Se os ventos da mudança não vêm, é hora da gente fazer ventar.

(foi a minha frase motivacional do dia)

E eu, munida de leque e ventilador, saí no quintal com toda a esperança do mundo - tirada da caixa de Pandora. Fiz de tudo! e consegui não mais do que uma suave brisa. Os cataventos e mensageiros do vento balançavam com timidez, o que me deixou um bocado irritada: tanto esforço para nada.

E foi então que me veio uma ideia: com o meu sopro e com o meu fôlego eu ia fazer ventar. Juntei todo o ar que pude e soprei com toda a força da minha modesta estrutura:

Me surpreendi ao notar criancinhas sendo levadas por suas pipas.

Um comentário:

Alline disse...

É a força que a gente tem e nem imagina, certo?
Post que me fez pensar... gostei!

Beijocas, sua linda!!!!