11 de fev de 2012

Ziggy

Para  Charlie

Ela cansou da vida e soube da festa a fantasia. Não hesitou: cortou os longos e comportados cabelos. Agora estavam curtíssimos e cheios de falhas. Mas ela estava terrivelmente feliz: o rosto pintado como Ziggy Stardust e um sorriso largo e zombeteiro e estranhamente satisfeito. 

Risonha como nunca.

Chegou à festa e o namorado logo a avistou, chocadíssimo:

- Mas o que você tinha na cabeça quando cortou o cabelo assim?

Ela olhou com uma ternura com laivos de sadismo e respondeu:

- Uai. Veio a vontade e a pergunta: vou machucar alguém, vou ferir alguém? Ah! A gente tem mais é que fazer essas coisas que tem vontade.

E ele olhou, assustado e temeroso. Matutava complexo e concreto: Que mais ela ia ter vontade de fazer? E nunca a tinha visto tão bonita.

2 comentários:

renatocinema disse...

Imagino o que pensaram de mim quando cheguei na única festa a fantasia que participei.....fui de Coringa. Afinal, amo os vilões. Chega de heróis e príncipes. kkk

£ädÿ disse...

o esquema é mesmo não estar nem aí. fazer o que dar na telha. senão acho que a gente nem vive direito XD