23 de fev de 2011

20 e poucos anos: Neuroses

Raul e Lô voltavam abraçados para casa, depois de uma festa:

- O seu amigo acha que eu sou gay?!

- Ele não é meu amigo.

- Certo, o seu namoradinho acha que eu sou gay.

- Ele não é meu namorado, que coisa!

- Okay, o seu whatever acha que eu sou gay!

- Ele não é nada meu e sim, acha que você é gay.

- Mas por quê? Você acha que eu pareço gay? Só porque eu não saio pegando geral? Quem sabe se ele soubesse que a gente dorme junto não falasse uma coisa dessas...

- Mas ele sabe.

- Sabe o quê?!

- Que a gente dorme junto, ué.

- Não sei o que é pior Lola! Saber que você contou isso pra ele ou ser julgado por uma coisa que não sou! O que mais você disse à ele?

- Ai Raul, você fala "julgado" como se ser gay fosse crime. Tá aí você mais uma vez se entregando em seus preconceitos.

- Não é isso, mas já pensou que se isso se espalha eu posso perder boas oportunidades?

- E desde quando você liga para o que os outros pensam?

Raul parou de andar, ficou um minuto em silêncio e respondeu depois:

- É, eu não ligo mesmo.

- Você tem andado muito com o Zeca. Já te disse que ele não é boa coisa...

- Só porque é seu ex?

- Não, porque o cara é um babaca.

- Sei. Mas o que você disse exatamente sobre nós?

- Nada para se envergonhar oh senhor cheio de pudores. Eu disse que somos grandes amigos que dividem a cama. Tão ruim assim? Quem ouve você falar parece que tem vergonha disso...

- Não, não é isso e você sabe. É que eu gosto de discrição.

- Sim, eu sei disso. Fique tranquilo, mas como adultos que somos, não vi mal em comentar.

- Você contou para ele sobre a manhã seguinte?

- Como assim?

- Que depois do sexo vai cada um pra um lado e que nunca acordamos juntos?

- Em que mundo você está, Raul. Tá doido? Papo de mulherzinha! Por que eu contaria isso para ele? E que mal há nisso? Já falamos sobre isso, né? Já entramos num consenso, não?

- Sim, claro claro. "Não misturar estação".

- Faço dessas palavras, que são minhas, as minhas palavras de novo: "Não misturar estação".

Chegaram a porta do prédio de Lô:

- E agora você fica com essa cara.

- Só tenho essa.

- Você ficou chateado, né? É uma bobagem.

- Sim, eu sei. 

- Sabe o que eu acho?

- O quê?

- Que você está precisando de uma namorada.

Raul sorriu, Lô deu-lhe um beijo de boa noite e ele voltou pensativo para casa.

Ouvindo Sexx Laws (Beck)

Um comentário:

Anônimo disse...

Ah... que cara chato! Mas curti o final!

Gabrl