18 de fev de 2011

E era uma vez a supervalorização do sarcasmo...

Segundo a Wikipédia:  

Sarcasmo [...] designa um escárnio ou uma zombaria, intimamente ligado à ironia com um intuito mordaz quase cruel, muitas vezes ferindo a sensibilidade da pessoa que o recebe. 

 Okay, as pessoas amam House porque ele é sarcástico. Tive amigos que se achavam o máximo por serem sarcásticos e humilharem os outros.

* dramatização* 

- Oh! Como sou superior à todo o resto da humanidade!

* dramatização*

A Lygia Fagundes Telles tem um trecho interessante em A disciplina do amor, no qual ela fala sobre como acha o bom humor uma qualidade importantíssima e cito aqui a parte que me interessa no momento:

"Sem sarcasmo, que o sarcasmo é cruel. Sarcasmo é veneno."

Existem outras maneiras de rir e fazer rir. E sarcasmo pode ser até engraçado às vezes, mas não acho mesmo que seja TUDO isso o que dizem e apontam e celebram.

É por isso que prefiro o Leonard ao Sheldon. O Sheldon é legal, mas cansa.

Ouvindo House of the rising sun (The Animals)

2 comentários:

Elaine disse...

Oi Frau, andei vasculhando teu blog, muito bom por aqui, hein!?!! Posts ótimos! E a contribuição no Meninas nada feijão com arroz rs... Tô seguindo.
Abraço.

Cayo Candido disse...

Pessoas muito sarcásticas tem algo a esconder...