29 de jun de 2012

Palhaço não é a mãe!

Marcos: - O que eu escrevo aqui no caderno de inglês?

Eu: - Coloca assim "altas aventuras com bandeirinhas juninas".

(fazíamos bandeirinhas para a festa)

Marcos: - Ai professora, sempre quis uma professora besta como você!

Eu: - Besta? Como assim?

Marcos: - Palhaçona.

Ou de outra vez que ouvi de João:

- É legal porque quando dá você bagunça com a gente...

E lembrei de todas as vezes que me chamaram de séria e eu discordei - e me ofendi. Porque quem me cobrou humor não ofereceu condições para que eu me sentisse a vontade para falar... besteira. Da mais pura e simples. É preciso estar confortável para ser besta, fazer gracinhas e essas coisas todas.

Um comentário:

renatocinema disse...

Poeta é poeta.....com humor para fazer rir ou com amargura para fazer refletir.

Belo diálogo.......besta (kkk).