12 de nov de 2012

A verdade por trás de "a fila anda"

- A fila anda.


Há quem ache insensível. Já eu acho bem acertado: a vida continua. Vai doer, você vai sofrer. Take your time. Fique de luto pelo tempo que precisar. Chore até se desidratar (e beba Gattorade). Ouça todos os CDs com músicas dor de cotovelo. Entenda que agora o que acabou faz parte do seu passado, ou seja, da sua história. E parta para outra.

Enquanto alguns saem pegando geral, tomo para mim a política do desapego: não deu certo, tudo bem. O que fazer? Há tanto que está além do nosso controle que prefiro sair por aí tendo bem claro na minha cabeça o que me cabe e o que está ao meu alcance. O resto não cabe a mim.

Não há dor de cotovelo ou o desamor vá durar para sempre. Bom, isso depende de nós. Acredito que enquanto estivermos abertos para a vida, a vida acontece. O problema é se trancar no quarto e querer conhecer alguém legal.

Um comentário:

renatocinema disse...

Que doçura e poesia em tantas palavras.....fora a filosofia em que sou o "cinéfilo" personagem, esse foi seu divã poético que mais apreciei.

Parabéns.....e bola para a frente.