26 de nov de 2012

Ping-pong ou Coletânea

Ele: - Não sou homem pra você. 'Cê sabe.

Ela: - Não, não é mesmo. E não é porque não quer.

Ele: - Não sei porque você não quer conversar comigo.

Ela: - O problema é esse: você não saber.

Ele: - Você não vai me explicar?

Ela: - Posso desenhar.

Ele: - Você está tão agressiva.

Ela: - Se eu sou afetuosa, você se afasta.

Ele: - Veja bem: é que eu sou homem...

Ela: - Imaginava. Eu sou mulher e nem por isso meus hormônios falam por mim.

Ele: - Você é muito dramática.

Ela: - Não, eu sou um ser humano. Tenho sentimentos. É diferente.

Ele: - Ah mas eu também tenho sentimentos!

Ela: - Não duvido: a vida ensina a acreditar nas coisas que a gente não vê.

Ele: - Dramática.

Ela: - Vitrola.

Ele: - Eu não entendo o que você quer!

Ela: - Mas eu já falei e desenhei. O problema é você.

Ele: - Então agora eu sou o problema?

Ela: - Sim e, para a minha sorte, você é problema seu.

Ele: - Não sou problema de ninguém. Você está falando besteira.

Ela: - Você é que não sabe o que quer. E não estou nem falando sobre nós...

Ele: - Deve ser porque, bem, não há nós.

Ela: - Bom, se isso é verdade, então é melhor você devolver as minhas chaves. E soltar a minha mão.

Ouvindo Mi vida eres tu (Vanguard)

2 comentários:

Vi disse...

Que cara mané! E conheço muitos no estilo...
Triste fim dos homens no mundo...

Beijo!

Vi
www.bardodataverna.blogspot.com
facebook.com/vicentrix

renatocinema disse...

Eu também conheço.......Mas, graças a deus, assim não sou.

Aprendi com NR e com PA a me relacionar com as mulheres.

Beijos