11 de mai de 2012

Take it back




Ontem fui até a sua casa, pedir minhas asas de volta. Pedir, não implorar. O sangue ainda verte pelas minhas costas. Deixa rastro. E mal sei eu que a vertigem é partilhada.

Um comentário:

£ädÿ disse...

eu cansei de pedir minhas asas de volta, então dei uma de Ícaro e construi asas novas. Elas não são perfeitas, nem à prova de queda, mas aos poucos vou retomando minha capacidade de vôo.