24 de mar de 2011

Amor eterno só tem dois: o de mãe e o do corintiano


Só conheço dois tipos de amor eterno: o de mãe e o de corintiano para com seu time. Sinceramente, não gosto muito de corintianos: dei azar de esbarrar com aqueles fanáticos insuportáveis e sei que nem todos são assim. Não que não haja fanáticos insuportáveis de outros times, mas o corintiano tem um não sei o quê de amor cego que o impele a ir até as últimas instâncias pelo seu time.

Assim, se por um lado eu não gosto muito daquelas pessoas para quem tudo é Corinthians - no melhor estilo Vai Curintia! - por outro, admiro esse amor, essa dedicação, essa paixão e essa união com o qual torcem. Os corintianos se reconhecem e se abraçam como uma grande família e acho isso bonito a sua maneira.

Amor eterno e fiel - nunca conheci um ex-corintiano.

Um comentário:

Carolina disse...

Frau,

eu sou Corinthiana!!!
Não sou fanática. Gosto muito, torço bastante e sinto essa identificação que você mencionou. Me orgulho disso!
E acho bacana você reconhecer o nosso amor e fidelidade pelo time, mesmo não gostando dos Corinthianos...

Beijo!

Vai Curintia!