21 de mar de 2011

Clara e as leis de atração

Já não tinha nada a perder? Seria por vaidade ou traquinagem mesmo? Clara preparou uma festa em seu apartamento, chamou alguns amigos e três dos pretensos pretendentes. Alguém tinha lhe dito que era preciso dar uma chance ao amor blá blá blá. Convidou os três então. Apesar de muito diferentes entre si, os três eram inteligentes, charmosos e agradáveis. Cada um ao seu modo, naturalmente. Ela vinha papeando com os três na intenção de que algo estalasse. Mas nada tinha estado ainda. E tinha algum resquício de esperança que sentisse alguma coisa por um dos três naquela noite. Mas não sentiu. Nada estalou. Sem qualquer sinal de atração ou química. Os três não passavam de bons amigos, não tinha como mudar aquilo. Eram aquelas coisas permanentes. Eles voltaram para casa um tanto decepcionados. Já Clara, um tanto perplexa e feliz, teve de novo aquela sensação já conhecida de que algo estava por vir.

Nenhum comentário: