31 de jan de 2011

Clara e os amores impossíveis

Caçoavam de Clara, de seu modo de ver a vida, de seus inúmeros amores fracassados. Ela não ligava. Olhava para um lado, para o outro e seguia sua vida calmamente. Olhava para um, para outro e viu que talvez estivessem no mesmo barco. Talvez estivessem todos perdidos.

Falavam sobre Clara e os amores impossíveis. E ela tinha tentado, feito tudo ao seu alcance. E nada! De todos os fracassos tinha experimentado um pouco. Às vezes, desanimava e sabia que ficaria sozinha para sempre. Melodrama adolescente. Mas recentemente tinha assumido outra postura. Desde que tinha deixado Louis. Aquilo sem dúvida tinha sido decisivo em sua vida. Deixá-lo para trás era deixar também uma parte de si da qual não gostava, cheia de permissividade, falta de dignidade e perda de tempo.

Agora, ela simplesmente vivia, sem mais buscar nada.  Não procurava, não buscava, não insistia. Ao mesmo tempo, uma esperança morna começava a despontar em seu horizonte de tons pastéis. Esperança de quem sabe secretamente que irá esbarrar com um certo alguém uma hora. E, desta vez, tinha de ser alguém que fosse mais do que um cara bacana-banana. Pouco importava o quando. Sentimentalmente, seguia sem grandes expectativas. Mas nunca se sabe. Tinha motivos para tal.

Clara tinha percebido que viver só cantando de bar em bar não ia funcionar, então arranjou um emprego. Levou seus documentos. O rapaz do RH era uma graça. Mas ela logo notou uma aliança dourada na mão esquerda. Se fosse quem não era, bem podia fingir que nada tinha visto. Mas Clara sempre jogava limpo: não colocaria sua felicidade a frente do bem estar alheio. Nunca tinha passado por cima de ninguém e não era agora que faria isso. Se agiam assim, não era problema dela - o que não fazia seu desprezo por tais pessoas mais brando.

Saiu com o cachorro estranhamente pensativa. Clara sempre fazia o impossível para torna o impossível possível, mas só agora notava que havia coisas que não eram para ser. Que outra explicação ela teria para o fracasso das coisas pelas quais ela tanto havia lutado? Summer que o diga.

Ouvindo:

Um comentário:

Zatanael disse...

Não existe fracasso para a pessoa que tenta, apesar do cachorro, ela ao menos persegue felicidade. Uma coisa que muitas pessoas deixam de fazer.