5 de jan de 2011

"Let romance happens!"

Para a Gata de Chapéu

Foi o que dois amigos me disseram. Fiz que não era comigo. Romance? Onde que não estou vendo? Torci o nariz. Essas coisas não acontecem comigo, não mais. Azedinha que só! Azeda não: realista. Só cuidado para não racionalizar demais e deixar a emoção passar. Emoção? Eu não vejo nada passar.Ou será que só finjo que não vejo? Meus óculos estão sujos, mas mesmo limpando não consigo ver o que está acontecendo.

Conversávamos sobre coisas antigas e uma amiga muito querida me disse:

- Você é uma pessoa que sabe o que quer e não deve pagar pela incerteza alheia. [...] Duro é saber o que se quer toda vez e ter que aguentar a lerdeza de quem não consegue traçar rumo nessa vida. [...] Determinação assusta os homens que não entendem que auto-suficiencia não significa menos amor [...] Só não significa parasitar e viver em função de, mas simplesmente viver com.

Foi uma das coisas mais bonitas que ouvi ultimamente. Mas não creio que seja o caso. Não mesmo. Tenho pagado pela incerteza alheia e resolvi me dar umas férias. Estou na praia pegando uma cor. Nem sempre é assim. Às vezes as coisas não são o que parecem. E às vezes o parecer reflete perfeitamente o ser.

2 comentários:

Tatiana Machado disse...

Não é porque eu falei, mas eu assino embaixo! rs
E vou continuar achando que se você não deixar o romance acontecer, vai viver bem. Mas talvez, de maneira menos interessante... quoting Drummond "de tudo fica um pouco". Deixa o "tudo" acontecer. Mesmo que após o "tudo" venha o "pouco"...

Beijos,

Anônimo disse...

Vinícius de Morais: "porque a vida só se dá pra quem se deu".

Gabriel