20 de jan de 2011

Desce

Ele trouxe uma escada de bombeiros.

- Desce, pode descer - pediu ele.

- Tô com medo - ela gritou lá de cima.

- Mas você não tinha medo de subir? - ele engrossou.

- Tinha - ela respondeu insegura.

- Então qual o problema de descer? - ele não entendeu.

- É que eu não sei o que vou encontrar aí embaixo - ela hesitou.

- Também não sabia o que ia encontrar aí em cima e subiu, né? - ele racionalizou.

- É, é verdade - ela concordou.

- Então desce agora! - ele ordenou

Ela ficou olhando lá de cima. Antes ficava tão bem em terra. Nunca confortável lá me cima, não gostava das alturas, tinha medo de cair. Num último ato de obediência, desceu do pedestal. Todavia, continuava insegura. Na verdade, mais do que nunca. Nunca segura na condição de musa e não mais segura na condição de reles mortal. Antes de deixar de ser ela mesma, as coisas não eram assim.

- Satisfeito? - ela perguntou séria.

- Não muito - ele resmungou.

- Parece que você nunca está satisfeito comigo! - ela se irritou.

- Você me decepcionou - ele sofreu.

- Por isso me mandou descer? - ela se inconformou.

- Por que você subiu, afinal?! - ele gritou.

- Você não se lembra? Foi você quem me colocou lá em cima...

 Ouvindo Preciso dizer que te amo (Cazuza)

4 comentários:

Gabriel H Pantoja disse...

Uau.

Alline disse...

Surpreendente!

E tem gente que sobe sem precisar que a coloquem lá...

Beijo grande, viu? =)

Fabi Muliterno disse...

Ai Lari... ai ai

Vinícius Cássio disse...

pena que ela deixou que a colocassem lá em cima... culpa dos dois.